quarta-feira, 1 de setembro de 2010

Amsterdã...



Sei que protelei muito o post sobre Amsterdã. Foi proposital porque nem sei direito por onde começar e menos ainda, se devo e como devo terminar. Amsterdã é assim... uma incógnita pra mim. É tudo ao mesmo tempo. É a loucura de uma cidade que não pára e carrega consigo o estigma (nada negativo) do mito. A beleza de suas ruas sempre cheias e pessoas sorridentes. Da linha do elétrico que passa quase na calçada da rua principal, vindo da estação, que se não tomarmos cuidado somos atropelados mesmo... parece não haver buzinas.
A magia de ter um Madame Tussaud há poucos metros da chegada pela estação do trem. Caminhando ainda um pouco mais, nos deparamos com a (confesso, decepicionante por fora) casa de Anne Frank. Aqui terei de parar e explicar... a casa de Anne Frank, por fora (eu não entrei, tava muito lotada!) é um prédio super moderno, com vidros por todo lado... achei que iria encontrar algo antigo... sei lá! Não entrei, mas o que vi, não gostei... Continuando a caminhada, nos deparamos com o Museu Casa de Rembrandt e não deu tempo (terei de voltar) para ver o Museu Van Gogh..
Mas tenho de confessar que minha curiosidade se deteve em ver as “meninas” na RedLights e os inúmeros coffeeshops. Coisa de turista, eu acho! Bom, começando pelas meninas... São muitas ruas... pra quem conhece, vai fazer uma volta comigo. Pra quem não conhece, vou tentar ilustrar. É assim, numa determinada rua vemos várias vitrines e acima do vidro luzes. Quando estiver acesa e vermelha, é porque tem “menina” trabalhando... passamos, olhamos, admiramos, somos convidados a parar... alguns param, elas abrem a porta e ali começa a negociação... geralmente o quarto é pequeno mas bem decorado, sempre em cores vivas e fortes. Tem pra todo gosto! Das jeitosinhas às gordinhas. Das novinhas às mais velhas. Elas alugam aquele espaço... e olha que as vi pela manhã... ou seja, trabalham bastante! Há também, acho que estas pagam mais, nas grandes avenidas. Suas vitrines são maiores e com cadeirões lindos. Elas sentadas, ou andando, ou de costas... meninas lindas! Mas um detalhe. Não podemos fotografá-las! O que eu acho muito justo!
Sigo agora com os coffeeshops... gente, os meus amigos que gostam da erva... se fartariam! São muitos! Um ao lado do outro... uns mais chiques, sofisticados com restaurantes, cafés, música.. outros bem mais simples, mas não menos charmosos! Claro que entrei pra conhecer! Compramos um cigarro que já vem preparado... minha participação foi no mínimo, engraçada. Eu só tossia!!! Rsrsrsrs... Explico: é muito forte! Tem cheiro diferente... Tem o The Bulldog, o primeiro da Holanda!
Um amigo, esta semana, me perguntou: - E aí, a Holanda é mesmo bagaceira? Ao que respondo: -Não! Tem muitas regras por aqui... mesmo em Amsterdã, onde parece que tudo acontece, tem regras. Por exemplo: o uso de drogas aqui é autorizado, mas não significa que qualquer pessoa pode comprar o quanto quiser e nem mesmo fumar aonde quiser. Os coffeeshops existem para que as pessoas usem lá ou em casa. Tem uma quantidade máxima de compra por dia e mesmo sendo autorizada a compra de sementes para cultivar em casa, esse cultivo deve ser somente pra consumo próprio e em pouca quantidade. Claro que há como driblar, principalmente a compra. Eu não uso, mas posso comprar pra alguém, se este tiver com sua cota esgotada no dia...
Isso porque não falei do Museu da Erva, da lojinha aonde vende sementes, do Museu da Vodka e dos inúmeros e lindos canais...
Mas Amsterdã merecerá mais algumas visitas minhas por lá! É uma cidade mágica! Linda e atraente!
Então... até breve!
Fotos: HG, 2010.

2 comentários:

  1. Adoro que os destaques desse blog sejam na cor verde. Combinam muito com meu espírito de quase sempre que venho aqui: verde de inveja, rsrsr. Quero muito Amsterdã e Praga. Quero, quero, quero...

    ResponderExcluir
  2. Vem que eu te levo! Prometo!!!

    ResponderExcluir